31 de janeiro de 2012

Cala A Tua Boca Com A Minha



"Porque te escolho, neste sussurro sem retorno?
Porque te quero no meu sono, se iluminaste sobretudo o que não fui?
(...) Arrumar os amores, é a primeira regra da vida - saber arquivá-los, entendê-los, contá-los, esquecê-los.
Mas ninguém nos diz como se sobrevive ao murchar de um sentimento que não murcha. (...) quando o amor nasce protegido da erosão do corpo,
apenas perfume, contorno, coreografado em redor dos arco-íris
dessa animada esperança a que chamamos alma
- porque se esfuma?
Como é que, de um dia para o outro, a tua voz deixou de me procurar,
e eu deixei que a minha vida dispensasse o espelho da tua?(...)
Em que dia me abandonaste?
Em que palavra a minha voz se partiu?
Que sombra se abriu por dentro dos teus olhos para despedaçar a minha imagem?
Foi sem querer.
Se deixei de te comover, de te divertir, de te inspirar, meu querido, foi sem querer.
(...) Foi sem querer que se calhar não fui mesmo capaz..."

Inês Pedrosa [Fazes-me Falta]

Bocas OnLine

4 comentários:

QUIM disse...

saber arquivá-los, entendê-los, contá-los, esquecê-los.Nem mais..custa a aprender mas agente chega la..rs..bj ..a foto muito linda ...amei..boa noite.

Seraphyta disse...

Obrigada Quim,

Seguir em frente, esquecer, renascer...

Boa Noite

Bj

Anónimo disse...

Inês Pedrosa, sempre gostei dela, mas depois do "fazes-me falta" nunca lhe consegui ler nada igual, talvez porque a comparação sempre esteve presente e é impossível escrever-se dois livros assim, lindíssimo. Apesar de politicamente me ter desiludo um pouco com os apoios que deu.
Desse livro: «. Estou sozinho. Sozinho com o coração em bocados espalhados pelas tuas imagens. Já não posso oferecer-te o meu coração numa salva de prata. Alguma vez o quis? Alguma vez o quiseste? Dava-me agora jeito um deus qualquer para moço de recados. Um deus que te afagasse os cabelos e me recordasse como eram macios. Um deus que me libertasse desta imagem fixa do teu corpo encaixotado.»

Seraphyta disse...

Anónimo,

"Estou sozinho. Sozinho com o coração em bocados espalhados pelas tuas imagens..."

Lindíssimo...que até dói!!

Thanks, Stranger.