15 de novembro de 2012

Where Time Goes


O teu corpo transpira o meu ópio.
Não te afastes.

Vasco Gato

Bocas OnLine

10 comentários:

Eros disse...

E como eu preciso do ópio!

Beijinho, fazes falta aqui.

Seraphyta disse...

Eros,

Todos nós precisamos de "ópio" em alguns momentos das nossas vidas :)

Obrigada pelo apoio.

Beijinho

Anónimo disse...

"Três fósforos um a um acesos na noite
O primeiro para ver o teu rosto inteiro
O segundo para ver os teus olhos
O terceiro para ver a tua boca
E toda a escuridão para recordar tudo isso
Apertando-te nos braços"

Seraphyta disse...

Anónimo,

"Apaixonar-se sozinha é apaixonar-se pelo silêncio.
Um silêncio com fumos e espelhos.
O amor, se é alguma coisa, é dos que se olham."

Anónimo disse...

"Nao tenho mais palavras.
Gastei-as a negar-te...

( Só a negar-te eu pude combater
o terror de te ver em toda a parte)"

Seraphyta disse...

Anónimo,

Gostei..Excelente escolha [Miguel Torga]

"As palavras aproximam:
prendem-soltam
são montanhas de espuma
que se faz-desfaz
na areia da fala

...

Ou então não:
matam
afogam
separam definitivamente..."

Anónimo disse...

"E chega um dia em que reconhecemos
finalmente
a injustiça das palavras –
exactamente as mesmas para quem vai e para quem fica

um dia
em que não há mais passado para contar
nem mais futuro para viver

apenas uma velha cantiga a embalar
uma casa desaparecida
e este limbo ocasional
onde o corpo
espera que anoiteça"

Seraphyta disse...

Anónimo,

"...deixa que a minha boca desfaça no teu corpo
os caminhos da casa a que um dia
vais querer voltar
porque terás sempre o meu nome
a rebentar das tuas veias
e hás-de esquecer entre os dentes
a areia que media o tempo das esperas
vermelho e leve como as romãs de novembro

e muito mais tarde alguém te vai pedir amor
como se fosse um fruto fora de época
ou o cheiro a incenso de um domingo de província
e tu não vais ter nada para dar
porque tudo o que havia eu já levei comigo
entre os cigarros / os retratos / a roupa amarrotada..."

Anónimo disse...

"Quando te procuro,
a tua música cala-se e não me procura,
ao longe.
É apenas um lamento no ar,
uma voz de pedra,
um violino ardido."

Seraphyta disse...

Anónimo,

Não há mais sublime sedução do que saber esperar alguém...

http://www.youtube.com/watch?v=7igDwNCos-w