3 de novembro de 2012

Awakening


A lua está longe e mesmo assim
Dançar podemos sempre, se quiseres...


Bocas OnLine

7 comentários:

Carlos Salome disse...

Belo acordar, pequeno almoço na cama, convites +ara a dança. Quem não haveria de querer?

Seraphyta disse...

Carlos ;)

Belo acordar...depende. De onde se acorda e com quem.
O mesmo se aplica à dança :))

Do you want...to?

Anónimo disse...

"E lembras os meus ombros
Docemente
Na dobra do lençol que desfazes

Desperta-me de noite
Com o teu corpo
Tiras-me do sono
Onde resvalo "

Seraphyta disse...

Anónimo,

E mais um poema. São sempre excelentes escolhas.

Muito, muito obrigada :)

Anónimo disse...

"Esta manhã, quando acordei, e a tua imagem
se atravessou à minha frente, ainda olhei pela
janela, não fosse ter nascido da luz que entrava.
Depois, pensei que podia ter sido um pedaço de
sonho que se partiu durante a noite, quando
o atirei para o chão"

Seraphyta disse...

Anónimo,

"Saí
de casa, atravessei a rua até ao café e, enquanto
o bebia, fechei os olhos. E a imagem voltou,
tão real que, quando olhei de novo para a frente,
a mesa vazia transformara-se num sofá onde
estavas estendida, em repouso, como se o dia todo
tivesse passado por ti, e a noite te envolvesse
com o seu peso branco."

Seraphyta disse...

Anónimo,

"Não sei onde estás, se falas
ou se apenas olhas o horizonte,
que pode ser apenas o de uma
parede de quarto. Mas sei que
uma sombra se demora contigo,
quando me pergunto onde estás:
uma inquietação que atravessa
o espaço entre mim e ti, e
te rouba as certezas de hoje,
como a mim me dá este poema."